Follow by Email

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Porque rir é muito bom!

Se você se sente inseguro naquilo que faz, se acha que não é bom o bastante, reveja seus conceitos...

Eu ri muito com este vídeo. Meu sobrinho de 08 anos faz algo parecido....kkkk

http://www.youtube.com/watch?v=FnmPJpNs1Zs&feature=related

Abraços,
Fabiana

terça-feira, 28 de agosto de 2012

No Circo da Política Brasileira, os Palhaços Somos Nós!

Pensando na postagem anterior e andando hoje por algumas ruas da cidade, foi inevitável o pensamento:
"Estes cartazes que lotam a cidade de candidatos sorridentes ( ressaltando que muitos não estão concorrendo a um primeiro mandato) querem dizer o que?
Que não estam rindo pra mim, estão rindo de mim!"

Eu tenho vergonha dos nossos governantes. É muito desleixo que se vê por ai. A cidade está feia, suja, mal cuidada, tem lugar que cheira mal. Não tem " porque...." que justifique.

Nas ruas lixo e buracos:




Nas calçadas: buraco, esgoto e lixo

Se uma coisa que não me anima nem um pouco é campanha política e ouvir promessas e promessas.

Abraços,
Fabiana

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

E vai montando sua casinha!

Passo sempre nesta avenida. Esta escadaria é de uma agência bancária.
Geralmentes eu via uma pessoa sentada ali...com uma sacolinha num dia, com uma sombrinha no outro.

Mas semana passada eu vi um quarto! O "morador" não estava.



Às vezes, quando vejo cenas assim, me pergunto: O que pode ser feito? Parece impossível mudar esta realidade. Mas porque?

Porque vivemos num mundo desigual, desde sempre;
Porque o governo é corrupto e não faz o seu papel;
porque o mundo é assim e não podemos abraçá-lo e resolver o "problema de todo mundo";
Porque eles é quem não querem mudar de vida...porque não vão trabalhar?;
Porque foi escolha deles, com certeza tiveram alguma oportunidade que não abraçaram;
Porque eu já tenho problema demais pra resolver....

Acho às vezes que a gente tem resposta demais pra tudo.
A gente bem que poderia inverter e não responder mais nada. Somente fazer o que precisa ser feito.

Abraços,
Fabiana



Porque Dele, por Ele e para Ele são todas as coisas!

Hoje vou publicar uma matéria da Revista Cristianismo hoje que fez uma entrevista sobre o meu trabalho. Pra mim o mais bacana dessa matéria foi me fazer recordar que Deus foi muito gracioso em me dar um trabalho que é tão gratificante. Queria estudar fisioterapia porque imagina que o melhor resultado que meu trabalho poderia ter seria ver pessoas melhorando suas vidas. Por razões que a própria razão desconhece, acabei fazendo Comércio Exterior, mas ao final meu anseio se concretizou, não como eu pensava, mas como Deus preparou. E Ele tem sempre o melhor. Abaixo tem o link da matéria completa.
Bjs,

Fabiana


Gerando renda e dignidade
A empreendedora social Fabiana Dumont apoia mais de 400 artesãs carentes

A empreendedora social Fabiana Dumont jamais pensou em trabalhar com projetos de geração de renda em comunidades carentes. “Realmente, tudo foi preparado por Deus e ele tem aberto todas as portas para a promoção da justiça social e para que estas pessoas possam ter uma vida mais digna”, garante. Ela atua criando grupos de trabalho em comunidades de extrema pobreza da Grande Recife, envolvendo principalmente mulheres. Em Aguazinha, bairro de Olinda, Fabiana apoia artesãs que antes trabalhavam no lixão da cidade. “Elas produzem peças recicladas e bijuterias que hoje são comercializadas até na Holanda”, explica. Já na comunidade das Carolinas, na vizinha Jaboatão dos Guararapes, ela ajudou a montar o grupo Esperança, cujas integrantes produzem peças em tecido, móbiles e chaveiros que também são exportados e até vendidos em lojas badaladas da região. “Além de renda para suprir necessidades da família, este trabalho representa dignidade”, pontifica Fabiana. “Algo que ouvi certa vez e nunca esqueci é que, quando investimos na formação e geração de renda para as mulheres, a vida da família como um todo melhora, porque elas investem tudo nos filhos, em uma alimentação melhor e em melhorias para suas casas”. As duas frentes de trabalho são apoiadas por igrejas de confissão anglicana, que dão suporte na utilização das instalações de seus templos para as oficinas e o estoque, ajudam na gestão da produção e abrem espaço em eventos para a venda das peças. “Atualmente, trabalhamos com cerca de 30 grupos produtivos, envolvendo mais de 400 mulheres”, informa. Mais de 1,3 mil pessoas já foram beneficiadas. Como muitas das artesãs não são crentes, o trabalho tem forte viés evangelístico. “Não nasci num lar evangélico”, revela Fabiana. “Por estranho que pareça, comecei a buscar Deus porque queria definições na minha vida, inclusive na área profissional. Mas Deus fez muito mais do que imaginei. Hoje, é um privilégio trabalhar com algo que ele plantou no meu coração. Creio que nosso trabalho tem sido um instrumento de Deus para trazer libertação da opressão causada pela pobreza extrema. Tenho convicção de que Deus me usa para proporcionar vida mais digna a essas mulheres, com a condição mínima de ter pão na mesa”.
Fabiana Dumont, 38 anos, é pós-graduada em comércio exterior e sócia da empresa Bio Fair Trade, que presta apoio aos grupos de produção formados por mulheres carentes. Ela congrega na Igreja Presbiteriana das Graças, em Recife (PE)

http://cristianismohoje.com.br/materia.php?k=872

O Povo Manda Recado.

As pessoas andam mesmo inspiradas em passar seu recado, enquanto cirulam pela cidade.





domingo, 5 de agosto de 2012

Nos Faz Bem Fazer Bem Feito!

A caixa de um supermercado hoje me fez pensar que é muito importante a gente trabalhar naquilo que gosta, naquilo que a gente ao menos tem perfil pra fazer.
O trabalho traz dignidade ao homem. É muito bom a gente ver resultado naquilo que fazemos, seja uma caixa de supermercado, um dentista, uma diarista, não importa. Todos precisamos de diversos serviços diferentes, sendo assim, todo trabalho deve ser valorizado e respeitado e quem o executa precisa se indetificar com ele.

Fiquei analisando quais habilidades, além de identificar com o que faz, uma caixa de supermercado tem que ter. Tive muito, muito tempo pra isso. Porque não entendo uma caixa gastar mais tempo para digitar 3 faturas que o cliente estava pagando do que sua colega ao lado gastou para passar 1 e meio carrinho lotado de compras.
Só pra dobrar cada fatura e rasgá-las foi um tempo impressionante. Parecia que ela tava alisando o papel. Fala sério!

A fila inteira começou a ficar irritada com a mulher, e não fui difernete. A gente quer ser compreensível, não inplicar, ser tolerante, mas tem coisa que irrita. Você até não fala nada, mas como te irrita naquele momento. Domingo no supermercado não é meu passeio preferido e ter que aguardar tanto tempo numa fila, que teria tudo pra ser rápido, te deixa menos feliz né.

Agilidade, atenção, simpatia são características mínimas no perfil desta pessoa.

O pior é que não só os clientes ficarram irritados, mas ela acabou ouvindo desaforos também. E quem está trabalhando é ela. Eu sou a favor de domingo ser tudo fechado e as pessoas terem um tempo de descanso com suas famílias e tal.
Eu saí dali e deixei lá minha irritação. Ela não. Se continuar atendendo daquela forma, provavelmente outros clientes também irão reclamar e imagino como o dia vai ser chato e cansativo pra ela. Como ela vai estar ao final do dia? como vai chegar em casa? Vai descontar em alguém? Ou ela nem liga de ouvir desaforos o dia todo?
Enfim, muitas coisas que fazemos mal  seja por preguiça, desleixo, por comodismo, porque não nos identificamos, porque "não consigo coisa melhor", por mil outros motivos podem acabar nos fazendo mal também. E ai, vale a pena? Não vale mesmo.

Ok, talvez neste momento nem todos estejamos fazendo aquilo que gostaríamos ou nos identificamos, mas ainda assim creio que podemos fazer da melhor forma e ter propósito e  foco de ir atrás de algo que além de sustento nos dá grande alegria em fazer.
Acho que isto também é válido quando pensamos em ter uma qualidade de vida satisfatória.

bjs,

Fabiana